Conheça a preparação física de um jogador de futebol

O futebol é, sem dúvidas, o esporte mais querido do país, além de ser o mais praticado do mundo. Assim como os outros esportes, necessita uma boa preparação física para executar sua performance da melhor maneira possível.

Quais são os componentes para uma boa performance em campo?

  • componente psicológico
  • biossocial
  • componente técnico
  • componente tático
  • componente físico

Todos os componentes possuem seus graus de importância, contudo, a preparação física deve ser fundamental e sólida, visto que uma partida possui a duração de 90min e o condicionamento físico será determinante para o jogo.

O preparo físico excelente garante que o atleta consiga alternar entre os momentos de lenta e alta intensidade, revezando entre potência e resistência.

Além disso, o desempenho físico é a base do bom desempenho de todos os outros componentes.

Em nosso país, em média são disputados quatro competições durante o ano, sendo dois jogos por semana. Essa periodicidade exige bom preparo físico para suportar a maratona de jogos em alto nível, sem prejudicar o atleta.

Quais são os objetivos da preparação física?

Normalmente existem objetivos fisiológicos a serem atingidos com a preparação física.

Podemos tomar como exemplo a melhoria de funções orgânicas e aprimoramento de desempenho esportivo, utilizando-se de métodos fundamentados em princípios científicos de treinamento.

Esse procedimento deve englobar capacidades físicas de resistência, velocidade, força, flexibilidade e coordenação.

Devido a isso, é indispensável que o preparador tenha conhecimentos de fisiologia, teoria do treinamento, cinesiologia e treinamento funcional.

Além disso, é relevante que os exercícios sejam encarados como um conjunto de ações destinados à resolução de determinado problema físico, técnico ou tático.

Talvez o maior desafio de um preparador seja conseguir ultrapassar ou maximizar os limites do atleta.

Vantagens e benefícios de uma boa preparação física

  • Melhora o sistema cardiorrespiratório
  • Melhora a flexibilidade, coordenação, mobilidade articular, reflexos, agilidade e concentração
  • Manutenção e maximização de força e resistência muscular
  • Menor risco de lesões
  • Aptidão para competição
  • Possibilidade de recuperação mais rápida

É importante que uma rotina seja estabelecida para que o esporte seja bem desenvolvido. Para isso, separei um roteiro como base para grupos de até 30 pessoas:

Aquecimento

É interessante que seja feito um trote leve de aproximadamente 15 minutos em volta do campo. Além disso, um alongamento básico para pernas, braços, ombros, panturrilhas, peitoral, bíceps, tríceps e também a lombar.

O alongamento é importante devido a prevenção de lesões, além disso, prepara o corpo para a atividade e relaciona-se diretamente com o êxito da performance.

A prevenção de lesões é extremamente importante na prática de exercícios. Enriqueça sua leitura com a matéria:  Como prevenir lesões durante a prática de exercício

Durante exercícios próprios do aquecimento, são elevadas as trocas de substâncias metabólicas. Como resultado, se fortalecem as reações de oxigenação, há uma melhor composição sanguínea e modifica-se sistemas respiratório, cardiovascular e outros.

Treino específico

Mini cones de agilidade

São espalhados pelo campo oito cones, um ao lado do outro, paralelos e em pares. Deve ser feita uma corrida em volta de cada um, em movimentos de zigue-zague.

É recomendável a realização de 3 a 4 séries com 30 repetições, indo e voltando.

Escada de agilidade

Pode ser praticado como se fosse uma amarelinha ou como deslocamento linear (de dentro para fora). Sugiro séries com 10 repetições.

Barreira de salto

Colocar barreiras de salto uma de frente para a outra. O atleta deve saltar entre elas, com as duas pernas juntas, sem intervalos. Duas a três séries com 10 repetições.

Paraquedas de corrida

Específico para treinamento de aceleração. Faça tiros de 100 metros amarrado ao acessório, isso também garantirá maior durabilidade de velocidade final máxima na corrida.

Abdominal com rolo

Ajoelhado sobre um colchonete e segurando um rolo com as duas mãos, o atleta contrai o abdômen e rola para a frente até os joelhos se afastarem do chão e o corpo paralelo ao solo.

É necessário manter a posição por três segundos, antes de, finalmente, voltar lentamente a posição anterior.

A força deve ser feita, sobretudo, pelo abdômen, não pelos quadris. Recomenda-se três séries com 20 repetições.

Corda naval

Em pé, com joelhos, quadris e tronco semiflexionados, as extremidades da corda devem ser seguradas com cotovelos flexionados a 90º. Além disso, as mãos devem estar bem fechadas e polegares voltados para cima.

Em primeiro lugar, devem ser feitos movimentos de ondulação com a corda, levando as mãos para cima, na altura dos ombros e para baixo, na altura da cintura – de maneira alternada e sucessivamente.

A velocidade deve ser aumentada conforme a amplitude do movimento. Outra variação do exercício é a combinação do movimento com saltos. O tempo é de acordo com quanto o atleta conseguir.

Métodos de treinamento

As capacidades de resistência apresentam exigências às capacidades aeróbicas e anaeróbicas. Já falei sobre capacidades anaeróbicas e aeróbicas em uma outra matéria:  Como é feita a preparação física de um lutador?

Métodos de treinamentos que se aproximam das exigências metabólicas específicas do esporte podem possibilitar um aumento efetivo no desempenho.

Esses métodos são divididos em três grupos:

Método contínuo

O objetivo principal é melhorar a capacidade aeróbica. Conforme a intensidade da carga de resistência, os efeitos do método são,consequentemente, ganho no sistema circulatório, aumento da vascularização do músculo requisitado e melhoras no aproveitamento de oxigênio.

O método leva em consideração o consumo máximo de oxigênio, fontes energéticas, tipos de fibras musculares e outros fatores que influenciam o desempenho do atleta.

É um treinamento normalmente utilizado em corridas, podendo ser intensivo (baixo volume e alta intensidade) e extensivo (alto volume e baixa intensidade).

Método Intervalar

Neste método estimula-se treinamentos acentuados, para melhorias da capacidade anaeróbica e aeróbica, que são mais ou menos acentuadas, conforme a intensidade.

A principal característica deste método é o princípio da pauta vantajosa. Trata-se da delimitação dos níveis de recuperação até um ponto onde a frequência cardíaca atinja cerca de 120 a 140 batimentos cardíacos por minuto. Ou seja, não há recuperação completa.

Método de repetição

É um método muito eficiente para a melhoria da resistência. Contribui de maneira excepcionalmente complexa e diferenciada para a melhora das capacidades e mecanismos regulatórios dos sistemas cardiovascular e respiratório, além de ser muito benéfico para o metabolismo.

Trata-se de um percurso escolhido com maior velocidade possível, com execução repetida e recuperação completa.

O desempenho deste método gera esgotamento dos depósitos de energia muscular (principalmente glicogênio) e após a recuperação, acarreta um aumento do mesmo.

A preparação física no futebol é uma das áreas do treinamento científico que mais evolui nas últimas décadas.

Tudo que envolve a qualidade dos treinos e um ótimo desempenho nas competições é fundamental. A base do sucesso no jogo é o momento da preparação!

 

Dr. Márcio Tannure

Dr. Márcio Tannure

Referência na Medicina do Esporte, Márcio Tannure é membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia e Membro da Sociedade de Artroscopia e Traumatologia do Esporte. Faz parte da equipe médica do Flamengo há mais de 15 anos e Médico Oficial da UFC desde 2011.